sábado, 21 de abril de 2012

Sorrisos e amores.


"Eu quis você,
e me perdi.
Você não viu,
e eu não senti." 
-Legião Urbana 

               Num universo paralelo onde as horas se misturavam com os dias, e as semanas passam na mesma velocidade que as folhas alaranjadas vão ao chão, as pessoas seguravam seus sorrisos tortos e os protegiam da fumaça e chuva dolorosa. Alguém sussurra um nome, dois olhos se encontram. Um segundo, que o relógio pareceu contar erroneamente – meio sem querer -, se passou; uma garotinha distraiu-se, e, brincando com a vida, deixou seu sorriso voar.
               
                Livre, ele se foi. Deixou-se levar.

                Os olhos continuavam conectados, os segundos eram dias e alguém percebeu a passagem das estações. O sorriso da garota ainda fluía, voava à qualquer olhadela terna e discreta. Ele estava desprotegido, invariavelmente perdido.

                Porém, um dia tudo acaba. Tudo. Sempre.

                O olhar se foi. As folhas das árvores secas continuaram a cair, sem se importar.

                Não havia sussurrar de nomes, abraçar de palavras fictícias e bonitas. Não havia letras. Não havia algo.

                Alguém partiu. O relógio, apesar de tudo, não se importou.

                A garota, aquela mesma tola, olhava o céu, esperando a volta de seu sorriso, que fugira com Alguém. Ele, o sorriso travesso, não voltou. Nem com o passar dos segundos e muito menos com o cair das folhas.

                Seu sorriso partira junto com o amor.

___________________________________________________________________
Oi, eu não morri [: Haha.
      Então. Hm. Estou meio sem palavras, por esses tempos, talvez por ter muito a dizer... Talvez porque descobri que nem todas as palavras são úteis para alguém além de mim. Tudo bem. rs'

     Alguém-que-talvez-não-exista que leu o texto logo acima, sinta-se honrado... O texto é parte de meu diário pessoal. Haha. Estranho? Sim, meu diário é estranho! o_o

Sayonara... Até algum dia... Que espero que seja em breve, haha.