sexta-feira, 13 de outubro de 2017

terça-feira, 10 de outubro de 2017

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

você já sentiu o peso do fim? como metais cravando em sua pele, um mar de lembranças sem gosto, sem cor. é só a queda até que a morte venha - e como ela se demorasse demais, você opta pelo fim.

só o fim.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

A dor parece física, mas não estou doente. Respirar é difícil e o coração bate sufocado. Inspire. Expire. Inspire. Expire. Viva. Só continue respirando.

Foi o de mais útil que puderam me ensinar.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Sobre o vazio do agosto em setembro

Hoje já se passaram 3 dias, mas o vazio continua o mesmo. Acho que pior. Mas quem eu quero enganar? Esse vazio sou eu, eu sempre fui assim. Motivos ou não são desculpas ou falta delas. Continuarei solitária, enquanto todas as outras pessoas brilharem. Esses dias eu ando tendo problema com estrelas, todas me parecem bonitas demais para que eu me aproxime.

Eu só quero morrer. Não sou uma estrela; só queria não brilhar. Sou um buraco negro. Vazio. Me falta, agora, a arma pra tirar minha vida de uma vez. Meu desejo de morrer é meu novo motivo de vida, eu acho.

Não tenho amigos ou esperança de tê-los. Eles partiram há alguns anos. Eu tenho dois amigos, mas talvez seja melhor me afastar deles. Me afogarei sozinha, é o que meu eu pensa.

 01/09/2015

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

A explicação do afogamento

Você sabe que ele, que os outros, que qualquer outro, não entende. Ninguém nunca entendeu. Você entende? Nem mesmo você. Você nem ao menos sabe o que quer que as pessoas entendam. Não sabe o que quer entender em si mesma. Não sabe o que é, o que pensa, ainda que tenha medo de seus pensamentos que te dizem verdades o tempo inteiro.

Sabe só que é verdade que o mar é forte a noite. Que a correnteza já matou muitos. E que você não sabe nadar… E que mora perto da praia. E que ninguém achará estranho se você entrar no mar esse horário. Ninguém te verá. Sabe que encontrarão seu corpo algum dia. Talvez daqui a 3 dias, talvez daqui a 5, 7 dias. Sabe que algum dos amigos vai dar por sua falta, talvez daqui a 3 dias, talvez daqui a 5, 7 dias.

Sabe que alguns dele, os que mais importam, ficarão tristes. Sentirão uma dor que você conhece, o medo do inexplicável, perguntarão uns aos outros se podiam ter feito algo. Não podiam. Eu estou dizendo isso, ninguém realmente podia.

Esse texto talvez seja o princípio de tudo. Do fim. Do fim para mim, e não para você e os outros. Creio nisso, agora creio em tudo.

05/07/2017

Siga-me pelo email [;